No dia 25/10/2016 nosso diretor Eng. Cyro Bernardes Junior participou da Reunião do COSEMA – FIESP.

Nesta reunião o Eng Ricardo Borsari Superintendente do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) fez uma palestra sobre a situação da Macrodrenagem na Região Metropolitana.

Começou comentando a diferença de visões da drenagem antes de 1994 onde predominava a idéias de canalizar os rios e ocupar o fundo de vale com obras viárias. Em 1994 com a implantaçaõ do piscinão do Pacaembu há uma mudança de paradigma e se começa a focar na diminuição das vazões de cheia que chegam.

Hoje esse conceito se estende para uma revitalização dos fundos de vale, diminuição da impermeabilização, limitação das vazões através da implantação de piscinões e polderes, bem como na ampliação do sistema de alerta.

Mostrou um gráfico muito interessante com a comparação das duas visões sobre a gestão de quantidade de água drenada.

Macrodrenagem na Região Metropolitana

Estes conceitos foram adotados no Plano Diretor de Macrodrenagem do Alto Tiete 2 elaborado em 2008, sendo que em 2001 se iniciou o PDMAT 3 ainda não terminado.

Segundo Ricardo houve com isso uma significativa diminuição de pontos de enchente na Região Metropolitana com a implantação de várias obras como piscinões, polderes e recuperação de várzeas de rios, mas falta muito ainda. Ressaltou que há necessidade de haver também uma atuação das prefeituras para o controle da microdrenagem dos empreendimentos, evitando assim que passem a curva de enchente para a cidade de jusante.

Este conceito foi o proposto na parte de drenagem no Plano de Saneamento Básico que a AMBCONSULT fez para a cidade de Caieiras na Região Metropolitana e faz parte da Lei de Saneamento do município, elaborada á partir do Plano.